Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

um eléctrico chamado desejo

um eléctrico chamado desejo

levitação

a distância de um pensamento deslocado em dois dedos no clitóris. um estímulo graduado na cerveja órfã de olhar. nada impede o impulso da língua no gargalo estreito, em movimentos contínuos, cheios de prazer borbulhado. cócegas na ponta do pénis. levitação sem ilusionismo. realidade próxima da epiderme. aqui e aí.

sem vertigens

uma noite de sonhos femininos.

interrompidos por uma erecção ruidosa. um jogo a dois mexido a um. um jogo de dominó. um jogador de dominó a jogar a solo. dominós, enlouquecidos pelo prazer de bater com as peças, conjugadas nos números siameses, na mesa dura. e o prazer jorrado de branco. imaculado. interrompido pelo prazer e em rotação inversa à paragem cardíaca, o coração bate distante de si mesmo. escuta-se daqui para além. não tem vertigens.

vem

«Porque aquele que deverá vir, virá. Senão o amor não passa de um copo de água rapidamente engolido» Andreï Makine , in "La femme qui attendait"

tic tac

há um tempo que os relógios não registam. um tempo indiferente para todos os outros, mas diferente para mim. porque só eu sei o que sinto e em que sentido. deixo fluir por conta alheia. continuo a sentir por conta própria. o significado deste sentir não é aleatório. é de querer.

parêntesis

hoje apetece-me abrir o coração em parêntesis. meter-te dentro e fazer ponto. deter o tempo e que se foda o espaço

amor

A minha maneira de te amar é simples: aperto-te contra mim como se existisse um pouco de justiça no meu coração e eu ta pudesse dar com o corpo. Quando mexo nos teus cabelos algo de belo se forma entre as minhas mãos. E quase não sei mais nada. E só quero estar contigo em paz e em paz com um dever desconhecido que às vezes pesa também no meu coração. Antonio Gamoneda, «Amor»

aumento da criminalidade

mãos ao alto!!! isto é um desejo erecto. inevitável na cleptomania de coração. nesta cura induzida de amor, rasga a roupa e despoja-te de pudor. deita cá para fora essa sensualidade e mostra esse corpo de sereia ondulada. afoga-me de prazer e deixa-me ir na corrente. faz-me ejacular neste assalto de vontade. roubo a imaginação e quero ver o real a cores. no tom da tua pele sedenta de toque. retira. mostra-me. entrega-me os bens.

Pág. 1/8

Mais sobre mim

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D