Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

um eléctrico chamado desejo

um eléctrico chamado desejo

tempo que os relógios desconhecem

tenho um tempo que os relógios não registam. suspeito que nem se lembram deste nosso tempo. é um tempo de bolha de cristal, onde tudo acontece enrolado nos lençóis. a tentação vem disfarçada na mão que escorre para a rosa que desabrocha. rosa dura que dura. tudo parece reduzido a banho de rosas. a verdade é tão lubrificante. aumentam os decibéis com uma ligeireza que acorda os vizinhos. a rosa esgalha. engrossa expele seiva em girandola. esvazia-se com prazer. lambuza as pétalas vermelhas rosadas pelo esfregar. está calor neste tempo que os relógios desconhecem.

fantasia para oferecer

a distância entre a fantasia e a realidade está à distância de um dedo. distância mínima com máximo prazer. e perante isso um sorriso facturado. e uma humidade que se me escorre na cabeça em estado líquido.

manter as coisas intactas

Num campo eu sou a ausência de campo. Este é sempre o caso. Onde quer que esteja sou aquilo que falta. Quando caminho separo o ar e o ar move-se para ocupar os espaços onde o meu corpo esteve. Todos temos razões para nos movermos. Eu movo-me para manter as coisas intactas. ~ Mark Strand

Mais sobre mim

imagem de perfil

Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D